O framework dos 10 tipos de inovação foi criada pelo grupo Doblin (agora da Deloitte) nos anos 90. O framework divide os tipos de inovação em 3 grupos: oferta (principais características do produto), configuração (como a empresa é estruturada) e experiência (como a empresa interage com os clientes).


Vamos começar com uma afirmação: “inovação” é um tópico confuso! Ponto! E isso acontece porque existem muitos tipos de inovação por aí e as pessoas utilizam esse termo de diferentes maneiras.

A inovação tende a se concentrar no desempenho do produto – novos produtos, novas atualizações, novos recursos. É por isso que as empresas costumam pensar no investimento em P&D como o ingrediente da inovação. Mas há muita inovação nas áreas que cercam o produto. 

Ao olhar para os inovadores de sucesso, podemos ver que eles são hábeis em encontrar avanços nessas áreas circundantes. Os “10 tipos de inovação” é um framework particularmente útil para nos ajudar a pensar de forma mais ampla, vamos dar uma olhada em como ela funciona.

Nota: existem várias formas de categorizar inovação, inclusive escrevi um artigo sobre a matriz de inovação, que hoje é uma das formas mais utilizadas. O objetivo desse artigo é apresentar o framework desenvolvido pelo grupo Doblin, e como você pode utiliza-los para aplicar de forma sistêmica na sua empresa.

A definição de inovação

Existem muitas definições de “inovação”, tantas que tem sido difícil ter uma conversa significativa sobre a própria palavra. Vamos começar com a que Kenneth P. Morse, do MIT nos forneceu: “Inovação é invenção mais comercialização”.

A colocação de Kenneth vem de um olhar de empreendedorismo, mas a definição ainda é válida se você estiver em uma grande empresa com novas tecnologias que encarregado de comercializar.

“Geralmente, é preciso um empresário, trabalhando com o inventor, para trazer novas tecnologias do laboratório para mercado”

Kenneth Morse

Também podemos olhar para um definição formal: o merriam – webster descreve inovação como “a introdução de algo novo”. No entanto, essa explicação é muito vaga, pois o termo está fortemente conectado ao mercado. Do ponto de vista de uma empresa, simplesmente “introduzir algo novo” não é inovador.

A inovação deve ser feita a um preço economicamente viável e satisfazer uma determinada necessidade do cliente. Idéias verdadeiramente úteis não surgem do nada ou através de técnicas como brainstorming, as melhores idéias vêm em resposta a um problema importante – é a implementação de uma solução melhor para um problema existente.

As pessoas geralmente pensam que uma invenção é o mesmo que inovação, por mais similares que sejam, elas não são as mesmas:

As inovações são (principalmente) o melhor uso para uma invenção, ou uma versão melhorada da mesma invenção que impactará o mercado e a sociedade.

Mas não se engane, não é tão simples quanto dizer que algumas empresas são inovadoras e outras não. As empresas geralmente têm uma estratégia de marketing com a qual navegam suas decisões. Mas ter apenas uma estratégia e nunca tentar outra coisa é uma receita para o fracasso em um mercado em constante mudança.

Apesar disso, eu noto que muitas empresas se apegam a uma única forma de inovar e dizem: “É assim que inovamos”. Não me entenda mal, isso funciona! Mas não estar aberto para outros tipo, você eventualmente vai pagar o preço – muita vezes se encontram com soluções que não resolvem um problema, uma dor.

E importante começar a tratar a inovação como uma disciplinas de negócios – como um conjunto de ferramentas projetadas para atingir objetivos específicos. Assim como não dependeríamos de uma única estratégia de marketing ou de uma única fonte de receia, precisamos criar um portfólio de estratégias de inovação projetadas para tarefas específicas.

É ai que entra o framework dos 10 tipos de inovação do grupo Doblin.

Framework dos “10 tipo de inovação”

Desde o final dos anos 90, o grupo Doblin trabalha com a estrutura dos “10 tipos de inovação”, liderada por Larry Keeley. Doblin agora faz parte da Deloitte, e a estrutura foi encapsulada em um livro, Os dez tipos de inovação: a disciplina de construção de avanços. Os dez tipos são divididos em três áreas:

  • Oferta, que contém os principais elementos do produto e como o produto é organizado e integrado. 
  • Configuração, como a empresa está organizada para obter lucro. 
  • Experiência, como a empresa interage com o cliente.
10 Tipos de Inovação

O framework surgiu da aplicação de uma abordagem proprietária a uma lista de mais de 2.000 inovações bem-sucedidas, incluindo a Amazon, IBM, o Ford Model-T e muitos mais, para determinar dez “movimentos” a se fazer para inovar dentro de sua empresa / produtos.

O framework explora essas idéias para diagnosticar padrões de inovação nas indústrias, identificar oportunidades de inovação e avaliar o desempenho das empresas em relação aos concorrentes. O framework já influenciou milhares de empresas em todo o mundo desde a sua criação e é uma maneira duradoura e útil de começar a pensar na transformação dos negócios

As estrutura do framework dos 10 tipos de Inovação

• Area 1 – Configuração

Inovações focados no funcionamento interno de uma empresa e em seu sistema de negócios.

Tipo 1 – Modelo de Negócio

Configuração - Modelo de Negócio

Como você ganha dinheiro

Modelos de negócio inovadores encontram uma nova maneira de converter as ofertas de uma empresa e outras fontes de valor em dinheiro. Os melhores refletem uma profunda compreensão do que clientes e usuários realmente apreciam e onde podem estar novas oportunidades de receita ou preço.

Modelos de negócio inovadores geralmente desafiam as antigas suposições sobre o que oferecer, o que cobrar ou como cobrar. Essa é uma grande parte de seu poder: na maioria das indústrias, o modelo de negócio dominante muitas vezes permanece inquestionável por décadas.

Exemplos clássico desse tipo de inovação seriam a Gillette trocando seu modelo de negocio de barbeadores caros, com recargas baratas, para vender as alças mais baratas e cobrando mais pelas lâminas – ensinando assim aos consumidores que as lâminas são descartáveis ​​e não precisam ser afiadas e mantidas; 

Outros exemplo é a Hilti, que fornece ferramentas elétricas para a indústria da construção e oferece um serviço de assinatura, o que significa que as empresas não precisam mais possuir as ferramentas, o que elimina a necessidade de atender e manter equipamentos caros.

Dica de leitura: como estamos falando de modelo de negocio e precificação, leia mais sobre os principais tipos de estrategias de preço para empresas SaaS.

Táticas para inovar no “Modelo de Negócio”

  • Prêmio: Preço com uma margem mais alta que os concorrentes, geralmente para um produto superior, oferta, experiência, serviço ou marca; (Exemplo: produtos da Apple, Mercedes)
  • Liderança em custos: Mantenha os custos variáveis ​​baixos e vender grandes volumes a preços baixos;
  • Transações em escala: Maximize as margens em buscando alto volume;
  • Microtransações: Venda muitos itens por um preço muito baixo. (Exemplo: jogos digitais)
  • Escassez Forçada: Limitar o fornecimento de ofertas disponível, por quantidade, tempo quadro ou acesso, para demanda e / ou preços.
  • Assinatura: Cobre de forma recorrente o acesso ao produto / serviço ao longo do tempo. (Exemplo: empresas SaaS)
  • Quadro de distribuição: Conecte vários vendedores com múltiplos compradores; quanto mais compradores e vendedores que participar, quanto mais valioso quadro de distribuição. (Exemplo: AirBnb)
  • FreeTrial: Permita que os clientes testem e experimentem antes de comprar;
  • Freemium: Oferecer serviços básicos de graça, enquanto cobra um prêmio para avançado ou especial recursos.
  • Financiamento: Capture receita não diretamente da venda de um produto, mas de pagamento estruturado planos e juros pós-venda.
  • Suportado por anúncios: Fornecer conteúdo / serviços gratuitamente para uma parte enquanto vender ouvintes, espectadores ou “Globos oculares” para outra festa. (Exemplo: YouTube)
  • Licenciamento: Conceda permissão a alguns outro grupo ou indivíduo para usar sua oferta em um maneira definida para um determinado forma de pagamento.
  • Uso medido: Permitir que os clientes paguem apenas o que eles usam.
  • Preços em pacote: Vender em uma única transação dois ou mais itens que poderia ser vendido como autônomo ofertas.
  • Desagregar preços: Permitir que os clientes comprem exatamente – e apenas – o que eles querem.
  • Partilha de riscos: Isenção de taxas / custos padrão se determinadas métricas não forem alcançados, mas recebem tamanho ganhos quando são.

Tipo 2 – Rede

Configuração - Rede

Como você se conecta com outras pessoas para criar valor

No mundo hiperconectado de hoje, nenhuma empresa pode ou deve fazer tudo sozinha. As inovações de rede fornecem uma maneira de as empresas aproveitarem os processos, tecnologias, ofertas, canais e marcas de outras empresas – praticamente todo e qualquer componente de um negócio.

Essas inovações significam que uma empresa pode capitalizar suas próprias forças enquanto aproveita as capacidades e ativos de outras pessoas. As inovações de rede também ajudam os executivos a compartilhar riscos no desenvolvimento de novas ofertas e empreendimentos.

Nota: Essas colaborações podem ser breves ou duradouras e podem ser formadas entre aliados próximos ou até mesmo concorrentes ferrenhos.

A Target, empresa de varejo norte americana, é um bom exemplo, com sua extensa rede de parcerias, incluindo Michael Graves, o arquiteto que projetou uma variedade de utensílios de cozinha.

Táticas para inovar no “Rede”

  • Fusões / Aquisições: Combine dois ou mais entidades para obter acesso a capacidades e ativos;
  • Consolidação: Adquirir várias empresas no mesmo mercado ou mercados complementares;
  • Inovação aberta: Obter acesso aos processos ou patentes de outros empresas para alavancar, estender e desenvolver conhecimentos e / ou faça o mesmo com IP interno e processos.
  • Mercados secundários: Conecte fluxos de resíduos, subprodutos ou outros ofertas alternativas para aqueles que os querem.
  • Cadeia de mantimentos Integração: Coordenar e integrar informação e / ou processos através de uma empresa ou funções da cadeia de suprimentos.
  • Complementar Parceria: Alavancar ativos compartilhando eles com empresas que atender mercados semelhantes, mas oferecer diferentes produtos e serviços.
  • Alianças: Compartilhe riscos e receitas melhorar conjuntamente as vantagem competitiva;
  • Franchising: Princípios de negócios de licença, processos e marca para parceiros pagantes;
  • Coopetição: Unir forças com alguém quem normalmente seria seu concorrente para alcançar um objetivo comum.
  • Colaboração: Faça parceria com outras pessoas para benefício mútuo.

Tipo 3 – Estrutura

Configuração - Estrutura

Como você organiza e alinha seus talentos e ativos

As inovações de estrutura estão focadas na organização dos ativos da empresa – rígidos, humanos ou intangíveis – de maneiras únicas que criam valor. Eles podem incluir tudo, desde sistemas de gerenciamento de talentos até configurações de equipamentos de capital pesado.

Os custos fixos e as funções corporativas de uma empresa também podem ser aprimorados por meio de inovações em Estrutura, incluindo departamentos como Recursos Humanos, P&D e TI. Idealmente, essas inovações também ajudam a atrair talentos para a organização, criando ambientes de trabalho extremamente produtivos ou promovendo um nível de desempenho que os concorrentes não conseguem igualar.

Quando bem feitas, estas inovações são muito difíceis de serem copiadas pelos concorrentes. O WL Gore é famoso por sua estrutura organizacional plana, as equipes geralmente são pequenas e orientadas por compromissos, e não por ordens de gerenciamento; todos os funcionários se tornam acionistas após um ano.

Essencial ler mais sobre cultura cooperativa e entender os tipos de cultura, para conseguir realizar esse tipo de inovação.

Táticas para inovar no “Estrutura”

  • Design Organizacional: fazer a forma seguir a função e alinhar a infraestrutura com as qualidades da empresa;
  • Sistemas de Incentivo: Oferecer recompensas (financeiras ou não financeiro) para fornecer motivação para um determinado curso de ação;
  • Integração de TI Integrar tecnologia recursos e aplicativos;
  • Centro de Competência: Recursos de cluster, práticas e conhecimentos em centros de apoio que aumentar a eficiência e eficácia em todo o organização mais ampla.
  • Terceirização: Atribuir responsabilidade por desenvolvimento ou manutenção um sistema para um fornecedor;
  • Universidade Corporativa: Forneça treinamento específico para gerentes.
  • Gestão Descentralizada: Distribua a tomada de decisão governança mais próxima da cliente;
  • Gestão do Conhecimento: Compartilhar informações relevantes internamente para reduzir redundância e melhorar desempenho no trabalho;
  • Padronização de Ativos: Reduza os custos operacionais e aumente a conectividade e modularidade pela padronização seus ativos.

Tipo 4 – Processo

Configuração - Processo

Como você usa métodos de próprios ou superiores para fazer seu trabalho

As inovações de processo envolvem as atividades e operações que produzem as principais ofertas de uma empresa. Inovar aqui exige uma mudança drástica dia forma como o negocio é estruturado, que permite à empresa usar recursos exclusivos, funcionar eficientemente, adaptar-se rapidamente e criar margens líderes de mercado.

As inovações de processo geralmente formam a competência principal de uma empresa e podem incluir abordagens patenteadas ou proprietárias que produzem vantagens por anos ou até décadas. Idealmente, eles são o “molho especial” que você usa e que os concorrentes simplesmente não conseguem replicar.

Às vezes, é uma abordagem patenteada ou uma metodologia inovadora, como a produção lean da Toyota. A Zara ganhou destaque no setor de varejo ao repensar a cadeia de suprimentos de moda, conseguindo levar um Sketch da roupa até sua comercialização em algumas semanas.

Táticas para inovar no “Processo”

  • Padronização de processos: Use produtos comuns, processos, procedimentos, e políticas para reduzir complexidade, custos e erros.
  • Localização: Adaptar uma oferta, processo, ou experiência para atingir um cultura ou região.
  • Eficiência do processo: Crie ou produza mais utilizando menos recursos – medido em materiais, consumo de energia ou tempo.
  • Fabricação flexível: Use um sistema de produção que pode reagir rapidamente a mudanças e ainda operar com eficiência.
  • Automação do processo: Aplique ferramentas e infraestrutura gerenciar atividades de rotina em para liberar funcionários.
  • Crowdsourcing: Terceirize trabalho repetitivo para uma grande grupo de indivíduos semi-organizado.
  • Produção sob demanda: Produzir itens após um pedido foi recebido para evitar carregando custos de estoque.
  • Produção enxuta: Reduza o desperdício e o custo em seu processo de fabricação e outras operações.
  • Sistemas Logísticos: Gerenciar o fluxo de mercadorias, informações e outras recursos entre o ponto de origem e o ponto de uso.
  • Design Estratégico: Empregar uma abordagem que se manifesta consistentemente nas ofertas, marcas e experiências.
  • Propriedade intelectual: Proteja uma ideia que tenha valor comercial – como um receita ou processo industrial— com ferramentas legais como patentes.
  • Gerado pelo usuário: Coloque seus usuários para trabalhar criação e curadoria de conteúdo que alimenta suas ofertas.
  • Análise preditiva: Modelar dados de desempenho anteriores e prever resultados futuros para projetar e oferecer preços adequadamente.

• Area 2 – Oferta

Inovações focados no produto ou serviço principal de uma empresa.

Tipo 5 – Performance do Produto

Oferta - Perfomance do Produto

Como você desenvolve features e funcionalidades que o diferenciam

As inovações de desempenho do produto abordam o valor, as features e a qualidade da oferta de uma empresa. Esse tipo de inovação envolve produtos inteiramente novos, bem como atualizações e extensões de linha que agregam valor substancial.

Com muita frequência, as pessoas confundem a performance do produto com a soma da inovação. Certamente é importante, mas vale a pena lembrar que é apenas um dos Dez Tipos de Inovação, e geralmente é o mais fácil para os concorrentes copiarem.

Pense em qualquer guerra de produtos ou features que você tenha testemunhado – seja torque e resistência em caminhões, escovas de dentes mais fáceis de segurar e usar, mesmo com carrinhos de bebê. Muito rapidamente, tudo se transforma em uma corrida louca à paridade. As inovações de performance do produto que oferecem vantagem competitiva a longo prazo são a exceção e não a regra.

Exemplos que eu gosto: a tecnologia de ciclone duplo da Dyson, sem bolsa, levando 15 anos e mais de 5.000 protótipos para produzir; ou o Gorilla Glass da Corning, um componente essencial de muitas marcas líderes de tecnologia.

Táticas para inovar no “Performance do Produto”

  • Produto Superior: Desenvolva uma oferta de design e / ou experiência com alta qualidade;
  • Fácil de usar: Torne seu produto intuitivo, simples e confortável de usar;
  • Funcionalidade envolvente: Forneça um novo componente que eleva a interação do cliente;
  • Segurança: Aumentar o nível do cliente de confiança e segurança;
  • Agregação de features: Combine features existentes encontradas em várias ofertas em um só produto;
  • Adicione features: Adicione novas funcionalidades a um oferta existente.
  • Atuação Simplificação: Omita detalhes, features e interações supérfluos para reduzir a complexidade.
  • Conservação: Projete seu produto para que os clientes possam reduzir seu uso de energia ou materiais.
  • Customização: Permita a alteração do produto e/ou serviço para atender requisitos e especificações individuais;
  • Foco: Projetar uma oferta especificamente para um público específico em detrimento de outro;

Tipo 6 – Sistema do Produto

Oferta - Sistema do Produto

Como você desenvolve produtos e serviços complementares

As inovações do sistema de produtos estão enraizadas na maneira como produtos e serviços individuais se conectam ou agrupam para criar um sistema robusto e escalável. Isso é promovido por meio da interoperabilidade, modularidade, integração e outras maneiras de criar conexões valiosas entre ofertas distintas e díspares.

As inovações do sistema de produtos ajudam a criar ecossistemas que cativam e encantam os clientes e se defendem contra os concorrentes. O navegador Mozilla é baseado em software de código aberto e permite que os desenvolvedores criem complementos para enriquecer o produto.

Táticas para inovar no “Sistema do Produto”

  • Complementos: Vender produto/serviços relacionados auxiliares a um cliente;
  • Extensões / Plug-ins: Permitir que terceiros criem e adicionem funcionalidades ao produto;
  • Agrupamento de produtos: Oferecer vários produtos como um produto combinado;
  • Sistemas modulares: Forneça um conjunto de componentes que podem ser usado de forma independente, e que ganham utilidade quando combinado;
  • Produto / Serviço Plataformas: Desenvolver sistemas que conectam com outro um produto/serviços de parceiros para crie uma nova oferta;

• Area 3 – Experiência

Inovações focadas em elementos voltados para a experiência do usuario.

Tipo 7 – Serviço

Experiência - Serviço

Como você apoia e amplia o valor de suas ofertas

As inovações de serviço garantem e aprimoram a utilidade, o desempenho e o valor aparente de uma oferta. Eles tornam um produto mais fácil de experimentar, usar e aproveitar; eles revelam features que os clientes poderiam ignorar; e corrigem problemas e suavizam as correções difíceis na jornada do cliente.

Quando bem executados, eles elevam produtos suaves e médios a experiências atraentes pelas quais os clientes sempre voltam.

A Zappos é famosa por seu serviço ao cliente, com funcionários habilitados a tomar a iniciativa de resolver o problema do cliente – pode ser passar horas no telefone com o cliente, ou enviar flores para aquele parceiro engajado.

Táticas para inovar no “Serviço”

  • Garantia: Remova o risco do cliente perder tempo ou dinheiro decorrentes de falha no produto;
  • Programas de fidelidade: Fornecer benefícios e/ou descontos para clientes frequentes e de maior valor;
  • Valor adicionado: Inclua um serviço / produto adicional como parte de o preço base.
  • Gestão da Experiência Completa: Forneça uma gestão completo da experiência completa do usuário;
  • Serviço complementar Oferecer serviços auxiliares que se encaixam com a sua oferta;
  • Serviço personalizado: Use as informações do cliente para fornecer serviço perfeitamente personalizado;
  • Comunidades de usuários: Construa uma comunidade de usuários para fornecer uma melhor experiência e suporte;
  • Pagamento parcelado: Permita que os clientes paguem com o tempo para reduzir custos iniciais.
  • Self-service: Permita que o seu produto e/ou serviço sejam utilizados de forma self-service pelo usuário;

Tipo 8 – Canal

Experiência - Canal

Como você entrega suas ofertas a clientes e usuários

As inovações de canal abrangem todas as maneiras pelas quais você conecta as ofertas da sua empresa com seus clientes e usuários. Embora o comércio eletrônico tenha surgido como uma força dominante nos últimos anos, os canais tradicionais, como lojas físicas, ainda são importantes – principalmente quando se trata de criar experiências imersivas.

Os inovadores qualificados desse tipo geralmente encontram maneiras múltiplas, mas complementares, de levar seus produtos e serviços aos clientes. Seu objetivo é garantir que os usuários possam comprar o que quiserem, quando e como quiserem, com atrito e custo mínimos e prazer máximo.

Difere da Rede, pois não se trata de com quem você trabalha para fazer essas conexões, mas mais sobre as maneiras pelas quais você se conecta. As principais lojas NikeTown da Nike oferecem uma experiência rica e única para os compradores, com lançamentos de produtos e equipe atlética, incluindo ex-profissionais de basquete.

Táticas para inovar no “Canal”

  • Diversificação: Adicione e expanda em novos canais;
  • Loja emblemática: Crie uma loja para mostrar marca por excelência e atributos do produto;
  • Go Direct: Pule o varejo tradicional e conecte diretamente com os clientes;
  • Canais não-tradicionais: Empregar novos e relevantes caminhos para alcançar os clientes.
  • Presença pop-up: Crie um ambiente temporário para mostrar e / ou vender ofertas.
  • Distribuição Indireta: Use outras pessoas como revendedores que assumem a responsabilidade de entregar a oferta ao usuário final.
  • Marketing multi-nível: Crie um canal de afiliados para gerar uma força de venda independente;
  • Venda cruzada: Coloque produtos, serviços ou informação que melhorará uma experiência em situações onde os clientes provavelmente querer acessá-los.
  • Sob demanda: Entregue mercadorias em tempo real quando ou onde quer que são desejados.
  • Contexto específico: Oferecer acesso oportuno a mercadorias apropriados para uma local específico, ocasião, ou situação.
  • Centro de Experiência: Crie um espaço que incentiva seus clientes a interagir com o seu ofertas – mas comprar através de uma diferente (e canal geralmente de menor custo).

Tipo 9 – Marca

Experiência - Marca

Como você representa suas ofertas e negócios

As inovações da marca ajudam a garantir que clientes e usuários reconheçam, lembrem-se e prefiram suas ofertas às dos concorrentes ou substitutos. Os melhores destilam uma “promessa” que atrai compradores e transmite uma identidade distinta.

Eles geralmente são o resultado de estratégias cuidadosamente elaboradas, implementadas em vários pontos de contato entre sua empresa e seus clientes, incluindo comunicações, publicidade, interações de serviço, ambientes de canal e conduta de funcionários e parceiros de negócios.

As inovações da marca podem transformar mercadorias em produtos premiados e conferir significado, intenção e valor às suas ofertas e à sua empresa.

Virgin é um exemplo clássico de marca, liderado por Sir Richard Branson, e empresas como Virgin Atlantic Airways, Virgin Records, Virgin Trains e Virgin Galactic; A Virgin se destaca por ser diferente e divertida, apimentando as indústrias em que atua.

Táticas para inovar na “Marca”

  • Co-Branding: Combine marcas para reforçar os principais atributos / aumentar a credibilidade de uma oferta.
  • Alavancagem da marca: “Empreste” sua credibilidade e permita que outras pessoas usem seu nome – estendendo assim o alcance da sua marca.
  • Private Label: Fornecer bens fabricados por outros sob sua marca;
  • Extensão da marca: Ofereça um novo produto ou serviço sob o guarda-chuva de uma marca existente.
  • Marca do componente: Crie uma marca para um componente crucial para gerar valor a ele;
  • Transparência: Permita que os clientes vejam suas operações e participe com sua marca e ofertas;
  • Alinhamento de valores: Faça sua marca representar uma grande ideia ou um conjunto de valores e expressá-los consistentemente em todos os aspectos da sua empresa. (Nota: o Golden circle é crucial)
  • Certificação: Desenvolver uma marca que garante certas características em ofertas de terceiros.

Tipo 10 – Engajamento do Usuário

Experiência - Engajamento do Usuário

Como você promove interações atraentes

As inovações de engajamento do cliente têm como objetivo entender as aspirações emocionais de clientes e usuários e usar essas idéias para desenvolver conexões significativas entre eles e sua empresa. As grandes inovações de engajamento do cliente oferecem amplos caminhos para a exploração e ajudam as pessoas a encontrar maneiras de tornar partes de suas vidas mais memoráveis, gratificantes, deliciosas – até mágicas.

Eles podem ser difíceis de detectar, geralmente sentados entre um dos outros nove tipos. A questão é como interagir com seus clientes e encantá-los. A Blizzard Entertainment, que fabrica o World of Warcraft, é especialista no engajamento do cliente – compreendendo o que faz os usuários jogarem por centenas de horas e o que os leva a colaborar e se conectar com outros usuários.

Táticas para inovar no “Engajamento do Usuário”

  • Automação do processo: Remova o fardo de tarefas repetitivas do usuário para simplificar a vida e faça novas experiências parece mágico.
  • Experiência Simplificada: Reduza a complexidade e se concentre em entregar experiências específicas excepcionalmente bem.
  • Curadoria: Use um ponto de vista distinto e no processo, crie uma identidade forte para si mesmo e seus seguidores.
  • Domínio: Ajude os clientes a obter grande habilidade ou profundo conhecimento de alguma atividade ou assunto.
  • Autonomia e Autoridade: Conceder aos usuários o poder de use suas ofertas para moldar sua própria experiência.
  • Comunidade e Pertença: Crie coneções emocionais para fazer as pessoas sentirem que fazem parte de um grupo ou movimento. (Novamente, o Golden Circle é a chave aqui.)
  • Personalização: Altere uma oferta padrão para permitir a projeção da identidade do cliente;
  • Personalidade: Humanize sua oferta com pequenos floreios na marca, na mensagem;
  • Status e Reconhecimento: Crie pequeno “detalhes”, permitindo que os usuários e aqueles que interagem com eles – desenvolvam aspectos de sua personalidade;

Combine os tipos e gere mais valor

Quando uma empresa trabalha para combinar vários tipos de inovações, geralmente produz resultados poderosos. Os autores do livro estudaram empresas consideradas inovadoras em 2011, agrupando-as em inovadores médios e principais, e descobriram que os maiores inovadores (aqueles que lançavam repetidamente ofertas bem-sucedidas) estavam integrando o dobro de tipos de inovação que os inovadores médios.

Média de Inovadores
Média de Inovadores
(Fonte: 10 Tipos de Inovações)
Top Inovadores
Top Inovadores
(Fonte: 10 Tipos de Inovações)

Comparado ao S&P 500, as empresas que integraram vários tipos de inovações tiveram mais sucesso ao longo de um período de tempo. Você pode ver claramente os resultados dessas empresas com cinco ou mais dos dez tipos.

Quase todas as empresas que identificamos como líderes inovadores usam rotineiramente vários tipos de inovação – e superam com facilidade as empresas médias que inovam de forma mais ingênua.

Top Inovadores x S&P 500
Top Inovadores x S&P 500
(Fonte: 10 Tipos de Inovações)

Exemplo: Nike

Uma empresa com foco em “Perfomance do Produto“, a Nike fabrica roupas e equipamentos esportivos. Em 1985, eles inovaram ao contratar o então astro de basquete Michael Jordan para endossar a marca Nike. Essa tendência de endosso de jogadores continua fortemente hoje, para ajudar Nike e Adidas a manter o domínio do mercado.

Em 1990, a Niketown foi lançada – uma inovação de “Canal, para apresentar ‘varejo como teatro’. As principais lojas custam milhões e claramente nunca produziriam retorno do investimento com a venda de mercadorias na loja. Em vez disso, a iniciativa foi financiada pelo orçamento de publicidade; as lojas poderiam fazer mais para criar inovação de “Marca” do que qualquer campanha publicitária.

Nos últimos tempos, a Nike lançou o Nike +, uma inovação de “Sistema de Produtos” que é integrado à linha de roupas esportivas e permite que corredores e atletas acompanhem seus movimentos. Também se integrou aos produtos da Apple em uma inovação de “Rede“. Essas ações exemplificam a eficácia de inovar em mais de um dos diferentes tipos de inovação simultaneamente.

Conclusão: como você vai inovar?

O framework dos 10 tipos de inovação nos permite estruturar o pensamento e concentrar a participação colaborativa em uma área específica – esse foco, como sempre, pode ajudar a produzir idéias de alta qualidade. o framework é fácil de entender e comunicar e, portanto, uma ótima maneira de começar a criar um sistema estruturado de inovação.

Você pode utilizar qualquer uma, ou melhor, qualquer combinação das táticas fornecidas no livro (e nesse artigo) para executando campanhas de ideias, poderá adicionar as táticas aos seus espaços de inspiração, ou como idéias-semente de uma campanha, para fornecer um pensamento para sua comunidade.

Um dos melhores usos do framework é ajudar a envolver toda a empresa a pensar nas possibilidades de inovação, como Larry Keeley coloca:

“As empresas mais inovadoras contam com sistemas individuais para gerar uma mudança no todo. A inovação não é o trabalho de apenas cientistas, engenheiros ou profissionais de marketing; é o trabalho de toda uma empresa e sua liderança.”


Espero que tenha gostado do texto e que comece a inovar na estrutura da sua empresa e geração de valor. Para saber mais sobre o assunto eu recomendo ler o texto que escrevi sobre a “matriz de inovação“, uma ótima forma de classificar a base da inovação.