Copywriting é uma ferramenta de escrita persuasiva, amplamente utilizada no Marketing Digital que visa a conversão de leads. Essa forma de escrever consiste na aplicação de algumas técnicas específicas, como os gatilhos mentais.


Você consegue produzir textos que levem o leitor a tomar determinada ação de forma efetiva? Além disso, você provavelmente já percebeu que existem alguns anúncios que chamam muito mais a atenção do público do que outros.

Esse tipo de texto que induz o leitor a agir de uma forma específica é focado em conversão. Mas nem sempre é fácil produzir esse tipo de conteúdo. Para isso, é imprescindível conhecer bem a persona, saber utilizar as técnicas de persuasão na escrita, introduzir os gatilhos mentais corretos no texto, dentre outras ações.

E é pensando em tais aspectos e em como empregá-los que surgiu o Copywriting. Essa ferramenta é utilizada constantemente no Marketing Digital e visa obter de seu público o retorno desejado em menos tempo. Para isso os textos de Copywriting, denominados Copy, são escritos com as técnicas supracitadas e com vistas à atração + conversão do público.

Entenda mais sobre o assunto e veja como você também pode lucrar com essa estratégia no seu negócio!

O que é Copywriting

Copywriting é uma ferramenta de escrita persuasiva, amplamente utilizada no Marketing Digital que visa a conversão de leads. Essa forma de escrever consiste na aplicação de algumas técnicas específicas, dentre elas podemos citar:

  • Utilização das armas da persuasão na escrita, através do uso das palavras certas;
  • Emprego de gatilhos mentais para atração do público;
  • O Copy precisa convencer o leitor a tomar determinada(s) atitude(s) após a sua leitura.

O Copy, é o nome do texto produzido pelo Copywriter, e diferentemente do texto literário ou jornalístico, o objetivo principal do Copy não é fazer apenas o leitor pensar ou refletir sobre algo. É claro que isso ocorre, entretanto, o principal intuito de um Copy é levar o seu leitor a uma tomada de ação.

Essa ação pode ser realizar uma compra ou apenas clicar para o download de um e-book. Toda e qualquer Copy é voltada para o CTA (call to action ou chamada para ação). Por isso a importância dessa ferramenta no Marketing Digital e como é essencial seu bom uso em sites, blogs e lojas virtuais.

Devido a isso, os copywritters, estão se capacitando cada dia mais e se tornando disputados pelas agências de Marketing e empresas em geral. Afinal, um bom Copy não é apenas um texto. É uma verdadeira porta para novos leitores, possíveis leads e futuros clientes.

Importante: apesar do nome, o Copy, nada tem a ver com cópia. Uma boa Copy é original e para isso, redatores profissionais buscam referências mas jamais plagiam ou se apropriam de textos já escritos. Logo, a Copy precisa ser única, voltada para a persona, exclusiva e com conteúdo relevante para o seu público.

História do Copywriting

Estima-se que a escrita surgiu mais ou menos em 3.200 A.C. e inicialmente, ela servia para relatar o dia-a-dia de nossos ancestrais. Com o passar dos séculos, sua função foi ampliada e a escrita também era utilizada para passar conhecimentos e informações.

Posteriormente, as sociedades viram na escrita uma forma de educar as pessoas, transmitindo-lhes normas, pesquisas, referências, etc. Séculos depois, no século XVIII com o surgimento dos jornais, houve o início dos anúncios. Eles eram textos voltados para oferecer produtos e serviços (bem parecidos com o que conhecemos hoje).

Dessa forma, a publicidade começou a existir e atuar de forma massiva na sociedade. Era possível ver em diversos jornais e revistas anúncios sobre diversas coisas, sobre os mais variados produtos. Após o surgimento do rádio e, algum tempo depois, da televisão, anúncios em rádio e TV ser tornaram uma febre e aliás, foi e é grande responsável pelo dinheiro que mantém esses estabelecimentos.

Com a chegada da internet e expansão do acesso à internet (principalmente por dispositivos móveis) a forma do público encarar os anúncios mudou. Afinal, ninguém quer ser interrompido enquanto assiste a sua série predileta ou enquanto vê um videoclipe que adora para ver um comercial.

Por fim, as pessoas utilizam a internet para pesquisar sobre produtos ou serviços antes de contratá-los. Tudo isso para saber se realmente vale a pena investir (ou confiar) naquela empresa. É graças a essa mudança de atitude de toda a população, que o Marketing Digital percebeu a necessidade do Inbound Marketing. Essa estratégia visa atrair o público para a empresa, em vez de anunciar de maneira mais direta e incisiva.

E uma das ferramentas de maior importância no Inbound é o Copywriting. Diferentemente do que muitos imaginam já no século XIX existiam Copywriters, mas eles nada mais eram que redatores publicitários. É com o passar dos anos e com o progresso do Marketing Digital que o Copywriting se distanciou da publicidade e se tornou a ferramenta que conhecemos hoje. 

Qual a diferença entre Copywriting X redação publicitária x marketing de conteúdo

Esses 3 conceitos causam dúvidas em um primeiro momento, pois parecem se tratar da mesma coisa mas não são. Isso ocorre pois os três termos indicam a redação de textos para empresas ou marcas. Porém, são coisas bem diferentes e vamos te explicar as distinções entre elas.

  • O copywriting é uma ferramenta do Marketing Digital voltada para a conversão. Sua principal utilidade é atrair a atenção do leitor e persuadi-lo a uma tomada de decisão. Isso precisa ocorrer de forma rápida e eficaz, sem delongas ou grandes objeções. Aliás, esse é um dos aspectos principais de um excelente Copy: a quebra de objeções do seu leitor.
  • A redação publicitária consiste em produções de textos voltadas para a construção da imagem da marca. Assim, ela desenvolve textos, anúncios e outras ferramentas que desenvolverão um retrato sobre a história da empresa que será reconhecida e admirada pelo público.
  • O marketing de conteúdo é voltado para a jornada de compra do seu público. Ele trabalha na nutrição de leads e é algo visto no médio e/ou longo prazo. Enquanto o Copy oferece resultados a curto prazo, ele trabalha de forma mais consistente e um pouco “lenta”. O marketing de conteúdo oferece artigos, e-books, webinários e outros conteúdos que visam atrair e engajar o público.

Importante: o marketing de conteúdo e o Copywriting são complementares e ambos devem estar na sua estratégia de Marketing Digital. Você pode ter anúncios incríveis mas nenhuma conversão, caso o seu conteúdo seja ruim. O contrário também pode ocorrer: existem sites com ótimos conteúdos mas com poucos e-mails inscritos e nenhum cliente. Isso pode indicar que o Copy não está sendo eficaz e o CTA não cumpre o seu papel.

Quando e como aplicar o Copywriting

É necessário utilizar o Copywriting em conjunto com a sua estratégia de marketing de conteúdo. Não adianta ter milhões de acessos no seu site ou blog e baixíssima taxa de vendas. O ROI (retorno sobre o investimento) precisa ser positivo. Por isso é importante que todos os seus conteúdos tenham técnicas adequadas e bem empregadas de Copy.

Por isso as técnicas de escrita persuasiva são tão importantes. É necessário transformar seu leitor em visitante recorrente do seu site, assinante da sua newsletter, e eventualmente, cliente da sua empresa. Fazemos isso aplicando as técnicas de copy em diversos locais na jornada do usuário, como por exemplo:

Anúncios

Os anúncios tem como principais objetivos converter o usuário pra realizar uma compra / assinatura, campanhas de engajamentos, sorteios, etc. Ou seja, o anuncio esta lutando pela atençao e engajamento da sua persona.

Por esse motivo, o anuncio é um dos principais locais para se utilizar um bom Copy, afinal de contas, o copy tem como objetivo converter um possível usuário. Para isso, você pode fazer uso de alguns dos vários gatilhos mentais. Abaixo listo alguns exemplos de anúncios:

  • Dores comuns: “Sei que você sofre com a insegurança de cuidar de um ser tão pequeno e que ainda não sabe nada do mundo.
  • Apresentar o produto: “O que foi desenvolvido nesses 24 anos de trabalho é um material completo que ensina como lidar com as principais dúvidas dos primeiros meses da criança.
  • O que o produto resolve: “Aprenda como identificar os primeiros sinais do bebê, entendendo quando ele está com fome, sono ou até com alguma doença comum dessa época.
  • Apresentação e autoridade: “Meu nome é Lúcia Guerra e sou pedagoga com 24  anos de experiência. Ajudo mães e pais de primeira viagem a superarem um período cheio de inseguranças: os primeiros meses do bebê.

Artigos de Blog

No caso de artigos de Blog, o copywritting tem algumas funções principais, que quando aplicadas corretamente, são peça chave na sua estratégia de marketing de conteúdo.

  • Criar um titulo atraente. Da mesma forma que o anuncio e o assunto do email, o titulo do artigo precisa ser atraente. É ele que vai fazer com que o seu leitor / visitante, se interesse e tome a primeira decisão, ou seja, optar por ler o texto inteiro.
  • Quebrar objeções. Durante o texto, uma boa copy tem como objetivo ir criando ganchos e contornando objeções. Você pode colocar no corpo do texto, cases de sucesso, citacões de pessoas com autoridade, criar urgência.
  • Guiar o usuário até um CTA. Por fim, com um bom copy no texto do artigo, você consegue guiar o usuario para um CTA, podendo ser um free trial, download de um material rico ou até mesmo falar com um consultor de sua empresa.

E-mail marketing

Recebemos dezenas de emails todos os dias. Competindo com essa avalanche de informação, precisamos criar mecanismos que atraiam os leitores logo no primeiro momento. É nesse momento que o Copy bem feito é tão eficaz.

Com um assunto bem atraente, usando dos mais diversos gatilhos mentais, você consegue maximizar as taxas de abertura de seu emails, evitando possíveis descadastrados ou que as pessoas escolham sair de sua lista de emails.

Dica de leitura: saiba mais sobre as métricas e fatores de entregabilidade de emails.

Landing Page

Também conhecidas como páginas de captura ou pagina de vendas, as landing pages precisam ser diretas e ter uma mensagem pra lá de persuasiva. O indicado é que o Copy seja curto, porém incisivo e gere no leitor um senso de urgência.

Além do copy da chamada principal, no caso das Landing Pages, você precisa utilizar em outros locais, como: corpo do texto para descrever a oferta, principais pontos que vai encontrar no material / produto ofertado, plugins de escassez, cases de sucesso e depoimentos.

Por exemplo: “clique aqui e não fique fora da Jornada V de Marketing Digital. Restam apenas 58 vagas!”. Nesse exemplo é possível notar o gatilho de escassez que seria aplicado em um plugin de contador.

Publicação em textos sociais

No caso das redes sociais, com dezenas de publicacnøes no feed das pessoas, chamar atenção de forma rápida é crucial para o sucesso da estrategia. Caso contrário, em pouco tempo você terá menos leitores e, consequentemente, menos seguidores.

Dica: É essencial que seu leitor seja direcionado sempre para um site, sorteio, promoção, artigo útil, download de e-book ou mesmo para entrar em contato com a empresa sobre determinado assunto.

O framework AIDA

Após entender o conceito e como ele é utilizado, bem como saber o que um bom Copy pode fazer pela sua marca, vamos além. A fórmula AIDA é muito utilizada dentro do Copywriting e é um acrônimo de “Atenção – Interesse – Desejo – Ação”.

Dentro do Marketing Digital, é certamente um dos frameworks mais eficazes para transformar leitores passivos em lead. O framework se apoia na jornada de compra do usuário em cada uma dessas etapas, despertando seu interesse e fazendo com que ele tome uma atitude que você deseja.

Veja o que significa cada letra dessa ferramenta:

A – Atenção

Um bom Copywriter e seu copy, tem como primeira função ATRAIR a atenção do seu leitor. Isso significa que as primeiras palavras de um Copy (seja artigo, podcast ou vídeo) precisa prender 100% da atenção da sua lead. Só assim é possível obter o foco da pessoa e consequentemente, poder induzi-la a ouvir ou ler a sua mensagem até o final.

Por exemplo, você já deve ter visto um anuncio que de emagrecimento como: “emagreça 20kg em 1 mes, sem fazer dieta“. Esse exemplo é um pouco exagerado e apelativo, mas tem como objetivo mostrar que, a primeira etapa do framework (e do copy) é prender a atenção do leitor e despertar seu interesse.

I – Interesse

A segunda etapa do framework AIDA, e a segunda etapa da jornada do usuario é despertar o interesse. Depois de conseguir a atenção do consumidor, o próximo passo é gerar interesse pelo que tem a oferecer a ele.

Você consegue fazer isso com alguns gatilhos, como: (1) mostrar que você resolve um problema dele, (2) passar autoridade do que esta falando, (3) criar um senso de urgência. O importante é faze-lo se interessar pelo que você esta ofertando, seja um blog post, ou seu produto.

Informações em destaque, como títulos e subtítulos ou os textos de banners, devem mostrar para o visitante que sua empresa tem algo que ele procura, que vale a pena.

D – Desejo

Depois de chamar a atenção e obter todo o interesse do leitor, a técnica AINDA indica que é necessário que a pessoa tenha desejo em relação a Copy. Se nas primeiras etapas você tinha segundos para chamar sua atenção, na etapa do desejo, você precisa atingir seu emocional, e isso pode demorar um pouco mais.

Aqui as informações são analisadas em mais detalhes e o visitante observa se a oferta e sua empresa de fato são capazes de atender às necessidades dele, se a sua solução é uma opção válida e confiável.

Nessa fase da AIDA é comum desenhar para o leitor um cenário ideal e que pode ser alcançado com os serviços e/ou produtos vendidos pela empresa. Indicadores de confiabilidade (depoimentos, lista de clientes, formas de garantia, comentários de clientes, etc.) costumam ser responsáveis por alterar significativamente a taxa de conversão.

A – Ação

Esse é o momento em que você saberá se as 3 etapas anteriores foram realizadas com sucesso. É agora que a pessoa é induzida a tomar uma atitude, a executar uma ação.

Tendo instruções claras do que fazer, mantendo um fluxo coerente durante a jornada de compra e não exigindo informações sensíveis ou formulários longos, a conversão tende a acontecer. Pode ser assinar uma newsletter, baixar um e-book ou efetivar a compra de um produto.

Após todo o direcionamento e técnicas de persuasão, o CTA precisa ser claro e direto. Por exemplo: “Clique aqui e tenha o corpo dos sonhos!” ou “Baixe o e-book e domine as técnicas de Outbound Marketing!”

Dicas para fazer um bom Copywriting

Reuni 10 dicas para que você saiba como fazer bons Copys, utilizando as ferramentas adequadas da escrita persuasiva e também dos gatilhos mentais.

Conheça bem sobre o que você está falando:

Antes de iniciar um Copy é importante que você estude sobre o produto ou serviço. Ou seja, leia sobre o assunto, assista vídeos instrutivos e não tenha vergonha em perguntar sobre o tema em caso de dúvidas. Para isso, é essencial que você conheça a fundo sobre cada produto que escreve. Suas características, funcionalidades, benefícios e vantagens em relação aos concorrentes.

Saiba quem é a persona:

Para que um texto de Marketing Digital venda e atraia, é que seja direcionado a persona correta. Não adianta só escrever um bom português e sem erros gramaticais. Direcione o seu texto para o seu cliente ideal, demonstre empatia por ele e construa uma narrativa que o encante. Quando você sabe sobre o que escrever e para quem escrever, o Copy se torna mais fácil de ser elaborado.

Escreva títulos irresistíveis:

Seguindo com a dica do framework AIDA, o primeiro passo é chamar a atenção do leitor e para isso, nada melhor que um bom título. Assim, é primordial que o seu texto chame a atenção logo no título. (Não adianta ter um texto superbacana e correto se ele não for lido.)

Utilize a linguagem adequada para cada Copy:

Cada Copy possui uma linguagem específica e precisa ser trabalhada de maneira única. Isso significa que há textos mais curtos e voltados para jovens advogados. Existem também artigos longos e detalhados, com ênfase em fisiculturistas.

Você percebeu que as personas são diferentes nesses exemplos que citamos? Logo, cada Copy terá uma linguagem diferente e estruturação diferentes. Por isso, é tão importante muito treino por parte dos Copywriters e dedicação em cada produção de conteúdo para web.

Fale sobre os benefícios e vantagens do produto ou serviço:

Um bom texto não consiste apenas em fornecer especificações técnicas do produto ou serviço. Aliás, isso não tem nenhuma relação com textos persuasivos. Para oferecer um artigo relevante que atraia e venda é necessário:

  • Evidenciar que a persona tem uma dor ou problema que precisa ser resolvido;
  • Demonstrar interesse em ajudá-la e enfatizar que é compreensível essa situação;
  • Quebrar todas as objeções ou empecilhos que dificultem a solução do problema;
  • Mostrar o produto ou serviço e expor os benefícios que essa compra pode ocasionar;
  • Relatar as melhorias que pessoas já tiveram ao utilizar esse serviço/produto;
  • Ter uma CTA claro e incisivo: se a pessoa perder a oportunidade ficará sem solução.

Mostre depoimentos de clientes satisfeitos:

Ao mostrar as vantagens da aquisição de um item, não se esqueça de utilizar o gatilho de prova social. Isso significa mostrar depoimentos de pessoas satisfeitas com o produto. Já é comprovado que nosso cérebro atua de forma a assimilar melhor algo quando vemos exemplos. Por isso a importância de validar o seu produto através de relatos.

Utilize dados relevantes e pesquisas sérias:

Um Copy precisa ser baseado em informações verdadeiras e que possam ser comprovadas. Nesse sentido, é importante validar as suas informações com pesquisas de órgãos sérios e instituições renomadas.

Ou seja, sempre busque informações sobre o que você vende nesse sentido! Saiba se aquele produto á aprovado pelo INMETRO, ANVISA, órgãos reguladores nacionais e internacionais, etc. Isso facilita muito nosso próximo tópico: a quebra de objeções.

Quebre todas as objeções:

É natural que sempre que você vá vender algo surjam empecilhos como: “o produto é caro” ou “não tenho tempo para fazer curso online”. Entretanto, um Copy de sucesso quebrará todas essas objeções ao longo do texto.

Você pode explicar sobre as facilidades de pagamentos, qualidade do produto, diferenciais em relação aos concorrentes, depoimentos de clientes satisfeitos e terminar enfatizando sobre como ter aquele item será positivo para o cliente.

Dica: faça analogias e comprações! Nosso cérebro é feito para economizar energia, então se conseguir comparar com alguma coisa mais próxima do dia a dia da sua lead, você tem maiores chances de converter.

Por exemplo: “Economizando 1 cafézim por dia você consegue comprar nosso curso de R$ 24,90

Desenhe um cenário ideal para o cliente:

Ao ler um bom Copy, identificamos uma conexão entre o redator e leitor. Isso porque um artigo persuasivo trabalha com as emoções. Para isso, Copywriters costumam se colocar no lugar da persona e mostrar-lhe como tudo pode ser melhor ao adquirir determinado produto.

São usadas frases como “compreendo seu receio, mas veja o que nossos clientes afirmam sobre este serviço”. Ou “não tenha vergonha, seu problema é muito comum e nós temos a solução”. Após essas frases, são construídos cenários ideais onde a dor da persona acabou e tudo fica melhor e feliz com a aquisição daquilo que está sendo vendido.

Esses Copys atraem e convertem, afinal, é isso que as pessoas buscam: soluções para os seus problemas.

Finalize o Copy de forma coerente e tenha um ótimo CTA:

Depois de todas essas dicas, é hora de terminar o Copy e para isso é fundamental direcionar o leitor com um CTA. Assim, se você deseja que ele assine a newsletter: peça. Se é imprescindível que ele baixe o e-book, direcione-o para isso. Não seja tímido nesse momento, afinal, se o leitor chegou até aqui, significa que o Copy foi eficaz!

Uma boa dica, é você colocar no texto do CTA exatamente o que ele vai estar realizando: “baixar ebook”, “experimentar gratis”.

O que não fazer no Copywriting

Acima você aprendeu o que DEVE ser feito em um Copy. Confira agora o que JAMAIS deve ser utilizado na hora de redigir um texto de Marketing Digital:

Nunca copie o conteúdo de alguém:

Além de plágio ser considerado crime, é muito constrangedor ser chamado a atenção por algo tão feio. Por isso, nunca copie e cole um Copy que já existe. Além disso, nada de só trocar o nome da empresa ou um artigo e “reaproveitar” um Copy.

Lembre-se: um bom Copy é único e original. Isso é fundamental para que os resultados sejam positivos. Outra coisa: empresas e agências punem pessoas que trabalham com má fé na produção de conteúdo.

Não fale termos difíceis:

Independentemente sobre o seu tema, não enfatize termos muito técnicos ou difíceis. Por exemplo: se você está vendendo uma furadeira, evite falar apenas de volts, watts e dimensões do produto. Apenas cite isso caso seja necessário. O mais importante são os benefícios do produto: evidencie sua trava de segurança, quais materiais podem ser furados e a garantia da entrega e compra.

Tenha um texto direto:

Isso significa não ser prolixo (ou repetitivo). É necessário enfatizar os benefícios do produto, contudo, não é bacana repetir 8 vezes que ele já ajudou 45.000 mulheres a emagrecer. Se essa informação já foi dita, mostre depoimentos ou fale sobre sua composição. 

Revise o Copy:

Principalmente em Copys longos, dê algumas horas de descanso ou até dias se possível e faça uma revisão. Outra coisa: peça a um colega para ler e verificar possíveis erros, além de te indicar novas sugestões e ideias caso o texto precise de novas correções.

Conclusão

Após ler esse artigo, você deve ter percebido que escrever para internet não é tão simples como parece. Criar e desenvolver textos que cativam, atraem e vendem é trabalhoso e necessita de técnicas específicas para conquistar o público.

A escrita não é dominada de um dia para o outro, aliás, é algo que precisa ser treinado diariamente. Leva tempo até que o redator tenha segurança e destreza em seus artigos e que seus Copys sejam altamente eficazes.

Por isso, nossa dica a um almejante a Copywriter é: estude muito e escreva bastante. Escreva todos os dias um pouco e divulgue o seu trabalho (isso é ótimo para perder o medo de críticas e vergonha). Você pode criar um blog pessoal ou utilizar as suas redes sociais como ferramentas iniciais do seu projeto. O importante é começar.

Dica: não invista muito dinheiro logo no início em anúncios ou impulsionamentos. Isso é bacana para testar a sua audiência, mas recomendo baixo investimento financeiro inicial.