Diagrama de Ishikawa, também conhecido como de “diagramas de espinha de peixe”, “diagramas de causa e efeito”, ou “Fishikawa” são diagramas causais criados por Kaoru Ishikawa que mostram as potenciais causas de um evento específico.

Os usos comuns do diagrama de Ishikawa são projeto de produto e prevenção de defeitos de qualidade para identificar fatores potenciais que causam um efeito geral. As causas geralmente são agrupadas em categorias principais para identificar e classificar essas fontes de variação.


Quando você tem um problema sério, é importante explorar todas as coisas que podem causar isso, antes de começar a pensar em uma solução. Dessa forma, você pode resolver o problema completamente, na primeira vez, em vez de apenas resolver parte dele e fazer com que o problema seja executado indefinidamente.

O Diagrama de Ishikawa (ou análise de causa e efeito) oferece uma maneira útil de fazer isso. Esta técnica baseada em diagrama, que combina Brainstorming com um tipo de mapa mental, leva você a considerar todas as causas possíveis de um problema, em vez de apenas aquelas que são mais óbvias.

Nota: o Diagrama de Ishikawa é um dos vários métodos para descobrir a causa raiz de um problema. Além deles, podemos citar, a análise dos “5 porquês“, Gráfico de Pareto, Diagrama de Dispersão e muitos outros.

O que é o Diagrama de Ishakawa (Espinha de Peixe)

Diagrama de Ishikawa, também conhecido como de “diagramas de espinha de peixe”, “diagramas de causa e efeito”, ou “Fishikawa” é uma ferramenta de visualização para categorizar as causas potenciais de um problema, a fim de identificar suas causas raízes.

O diagrama de Ishikawa foi proposto por Kaoru Ishikawa na década de 1960, pioneiro nos processos de gestão da qualidade nos estaleiros Kawasaki e, no processo, se tornou um dos fundadores da gestão moderna.

O diagrama é considerado uma das sete ferramentas básicas de gerenciamento da qualidade, junto com o histograma, Análise de Pareto, folha de verificação, gráfico de controle, fluxograma e diagrama de dispersão. É conhecido como diagrama em espinha de peixe por causa de sua forma, semelhante à vista lateral de um esqueleto de peixe.

Espinha de Peixe
  • A “cabeça” do esqueleto representa o problema ou efeito, que geralmente é mostrado à direita. 
  • As “costelas” denotam categorias ou classificação de causas para a análise, que se ramificam em causas e subcausas. A ramificação depende dos níveis exigidos em cada classificação.
  • Os “ossos” estendem-se à esquerda para mostrar as diferentes causas.

Os usos comuns do diagrama de Ishikawa são projeto de produto e prevenção de defeitos de qualidade para identificar fatores potenciais que causam um efeito geral. As causas geralmente são agrupadas em categorias principais para identificar e classificar essas fontes de variação.

Embora tenha sido originalmente desenvolvida como uma ferramenta de controle de qualidade, você também pode usar a técnica de outras maneiras. Por exemplo, você pode usá-lo para:

  • Descubra a causa raiz de um problema.
  • Descubra os gargalos em seus processos.
  • Identifique onde e por que um processo não está funcionando.

Principais causas: os 4 grandes grupos

É importante compreender as causas principais mais comuns que podem afetar um tipo específico de problema. Com isso em mente, é possível verificar a integridade das causas-raiz que você identificou.

Por exemplo, se você sabe que uma causa principal é a “capacidade das pessoas” e não identificou nenhuma causa-raiz dessa natureza, pode voltar e passar mais tempo identificando as causas-raiz apropriadas para o seu problema.

Ao fazer isso, você pode garantir que identificou todas as causas raiz apropriadas e, portanto, está em uma posição para identificar uma solução melhor para o seu problema.

Existem quatro grupos de causas principais que você pode usar para verificar se suas causas-raiz estão completas. Cada grupo é útil em diferentes circunstâncias.

  • 6Ms: Homens/pessoas (Man power), Maquinas (machines), Metodos (methods), Materiais (materials), Medidas (measures), Mãe Natureza (mother nature)
  • 4Ps: Lugares (places), Procedimentos (procedure), Pessoas (people), Política (politics).
  • 7Ps do Marketing: Produto (product), Preço (price), Local (place), Promoção (promotion), Pessoas (people), Posicionamento (positioning), Embalagem (packaging).
  • 5Ss: Ambiente (surroundings), Fornecedores (suppliers), Sistemas (systems), Habilidades (skills), Segurança (safety).
Diagrama de Ishikawa aplicado

Importante: Mais grupos estão disponíveis e você sempre pode criar seu próprio grupo, que é apropriado para suas circunstâncias específicas.

Quando utilizar o Diagrama de Ishikawa

• Benefícios

  • É fácil de entender devido a sua característica visual. Como o diagrama de Ishikawa coloca o efeito, as causas e as separar entre as categorias principais, esse exercício facilita o entendimento da real dependência entre elas.
  • Ajuda a identificar a causa raiz de um problema. Como citado, a estrututa visual do diagrama permite explorar as possíveis causas de um efeito/problema de forma hierárquica as diversas categorias.

• Limitações

  • Mostra possíveis causas para o problema, mas não a raiz deles. Gráficamente, o diagrama de Ishikawa te mostra todas as causas possíveis de um problema, mas ele não te mostra a causa raiz dele.
  • Possível tempo perdido. Como o diagrama de Ishikawa identifica diversas causas para um problema, você acaba perdendo muito tempo nessas causas secundarias ao invês de estar investindo tempo na real causa raiz do problema.
  • Subjetiva. A causa raiz pode ser subjetiva para as pessoas analisando o problema.

Pontos importantes sobre o Diagrama de Ishikawa:

  • O problema deve estar claro. Quando estiver discutindo com o restante da sua equipe, o problema deve ser claro e todos devem concordar com ele.
  • O indivíduo ou membro da equipe que está tentando identificar as causas deve ser experimentado. Isso evita que as causas importantes do problema sejam perdidas. 
  • A sessão de brainstorming deve ser focada e objetiva. 
  • Todas as causas possíveis devem ser identificadas. Somente depois que todas as causas são identificadas, elas são classificadas. 
  • Se os ossos aumentarem, a clareza do diagrama de espinha de peixe não deve ser perdida. 

Como utilizar o Diagrama de Ishikawa

Preparando o exericio

A seleção da equipe é a primeira etapa essencial e crítica do processo. Se você estiver lidando com um problema de chão de fábrica, inclua os trabalhadores da fábrica ao lado de sua equipe gerencial. É fundamental fazer disso um exercício de equipe e estar aberto a todas as perspectivas. É aconselhável incluir um facilitador para orientar essas reuniões.

Para criar um Diagrama de Ishikawa, você pode usar qualquer um de uma variedade de materiais. Em um ambiente de grupo, você pode usar um quadro branco ou papel pardo para começar. Você também pode usar “Post-It” para listar as possíveis causas.

Nota: tenha a capacidade de reorganizar as notas à medida que o diagrama se desenvolve. 

Etapa 1 – Identifique o problema

Primeiro, escreva o problema exato que você enfrenta. Quando apropriado , identifique quem está envolvido, qual é o problema e quando e onde ele ocorre.

Em seguida, escreva o problema em uma caixa no lado direito do quadro branco que você trouxe e desenhe uma linha horizontalmente a partir da caixa. Esse arranjo, parecido com a cabeça e a espinha de um peixe, dá espaço para desenvolver ideias.

Definindo o problema do diagrama de Ishikawa
Etapa 1 – Definindo a “cabeça do peixe” ou o efeito/problema que esta tentando solucionar.

Por exemplo: imagina que você é um tecnico de basquete e notou que a assertividade do seu principal jogador começou a cair consideravelmente. Você precisa identificar os diversos possíveis problemas para isso a ajuda-lo a superar essa dificuldade.

Etapa 2 – Decida as categorias

A próxima etapa é decidir como categorizar as causas. Existem dois métodos básicos: A) por função ou B) por sequência de processo. A abordagem mais frequente é categorizar por função.

Em configurações de manufatura, as categorias são frequentemente: Máquina, Método, Materiais, Medidas, Pessoas e Ambiente. Em configurações de serviço, Máquina e Método são freqüentemente substituídos por Políticas (regras de decisão de alto nível) e Procedimentos (tarefas específicas).

Importante: como listado anteriormente, existem diversas categorias muito utilizadas para você escolher a que faz mais sentido para sue negocio. Se não encontrar nenhum grupo de categorias apropriadas, você pode criar a sua.

Categorias do diagrama de Ishikawa
Etapa 2 – escolher a categoria apropriada (ou definido as suas)

No nosso exemplo, usaremos as funções de manufatura como ponto de partida, menos a “medição” porque não houve variabilidade experimentada nas medições (é fácil perceber se a bola passa pela cesta).

Etapa 3 – Identifique as possíveis causas

Você pode ver que isso não é detalhe suficiente para identificar as causas raiz específicas. Geralmente há muitos contribuintes para um problema, portanto, um Diagrama de Ishikawa eficaz terá muitas causas potenciais listadas em categorias e subcategorias. As subcategorias detalhadas podem ser geradas a partir de uma ou de ambas as fontes:

  • Brainstorming por membros do grupo / equipe com base em experiências anteriores.
  • Dados coletados de planilhas de cheques ou outras fontes.

Uma ferramenta analítica de Causa e Efeito intimamente relacionada é a abordagem “5 Porquê“, que afirma: “A descoberta da verdadeira causa raiz requer a resposta à pergunta ‘Por quê?’ pelo menos 5 vezes “. As causas raízes adicionais são adicionadas ao diagrama de espinha de peixe.

Agora, para cada um dos fatores considerados na etapa 2, faça um brainstorm das possíveis causas do problema que podem estar relacionadas ao fator.

Mostre essas possíveis causas como linhas mais curtas saindo dos “ossos” do diagrama. Quando uma causa é grande ou complexa, pode ser melhor dividi-la em subcausas. Mostre-os como linhas saindo de cada linha de causa.

Causas do Diagrama de Ishikawa
Etapa 3 – Definido as causas dentre as várias categorias.

Por exemplo, na categoria “maquina” (no nosso caso, “cesta”), as possíveis causas para a diminuição da assertividade pode ser relacionada com o “tamanho da cesta é maior ou menor?”, “seu peso foi alterado?”, “ela esta alinhada?”, “ela esta estável?”. Essa são algumas das possíveis causas relacionadas a essa categoria.

Etapa 4 – Análise o digrama

Nesse estágio, você deve ter um diagrama mostrando todas as possíveis causas do problema que você pode imaginar.

Dependendo da complexidade e importância do problema, agora você pode investigar as causas mais prováveis ​​com mais detalhes. Isso pode envolver o estabelecimento de investigações, a realização de pesquisas e assim por diante. Eles serão projetados para testar quais dessas possíveis causas estão realmente contribuindo para o problema.

Conclusão

O diagrama de Ishikawa é uma das ferramenta mais importante na identificação da causa raiz, embora seu desenvolvimento seja demorado. Devido aos seus enormes benefícios, o “diagrama em espinha de peixe” é usado em diferentes indústrias, como manufatura, gerenciamento de projetos, indústrias de serviços, etc. 

Lembrando que o diagrama de Ishikawa o nível de experiência, conhecimento, pensamento crítico, treinamento, etc. da pessoa ou pessoas envolvidas desempenham um papel importante no esboço bem-sucedido do diagrama de espinha de peixe. 

A criação deste diagrama com uma equipe multifuncional criará não apenas confiança entre os departamentos, mas também cultivará novos conhecimentos e compreensão para os principais participantes do processo. Ao usar o diagrama como um tópico de discussão, as reuniões podem ser melhor focadas na melhoria do processo e redução de defeitos.