Quando planejamos nosso produto, é sempre importante manter um equilíbrio entre nossas necessidades imediatas e nossos objetivos distantes. Temos um monte de coisas que devem acontecer em breve para atender às demandas imediatas dos clientes e acompanhar a concorrência. Mas também existem objetivos, novos mercados e oferecer suporte a plataformas tecnológicas emergentes. Então como criar um roadmap equilibrado?

A criação de um roadmap de produto unico, contendo os dois conjuntos de planos, pode resultar em um documento superespecífico por um lado e distorcido e amorfo por outro (o que pode ser confuso para alguns stakeholders). É por isso que tentar compactar tudo em um único artefato pode não ser a melhor abordagem para mapear o futuro do seu produto.

O que é um roadmap equilibrado

Os roadmaps de curto prazo têm objetivos diferentes dos de longo prazo, e é por isso que faz sentido dividi-los. O primeiro, é um resumo de objetivos muito reais e tangíveis e as tarefas para fazê-los acontecer. O de longo prazo ilustra a visão de onde o produto acabará / poderá acabar.

Um para planos de curto prazo e um para objetivos de longo prazo

Roadmaps de curto prazo podem não ser garantidos. No entanto, deve haver uma confiança alta de que o que está incluído além de ser finalizado, provavelmente será feito como solicitado e seguindo o prazo especificado no documento. Obviamente imprevistos acontecem, emergências surgem e as prioridades podem mudar, mas essas geralmente devem ser a exceção à regra quando se trata deste roadmap.

Os roadmaps de longo prazo são menos sobre planos específicos e mais sobre contar uma histórias. Eles pintam uma imagem de onde o produto pode chegar e ilustram o pensamento atual sobre a estratégia e priorização em uma visão macro. Eles nunca devem ser tomados como planos fixos. Em vez disso, eles servem como uma ferramenta de comunicação para criar alinhamento interno, entusiasmo entre a base de clientes e um indicador para o seu setor, que seu objetivo é fazer muito mais do que apenas ajustar e otimizar o conjunto de funcionalidades existente.

Como, a criação da visão a longo prazo e o planejamento de curto prazo variam em seu escopo, especificidade e certeza, isso é um forte argumento a ser feito para dividi-las em dois roadmaps separados. Eles realmente representam duas camadas diferentes da sua visão. Não apenas o conteúdo em si é diferente, mas também os usos potenciais para esses documentos.

Em resumo:

  • Roadmap de curto prazo é uma referência útil para engenharia, UX, atendimento ao cliente, vendas e marketing, que podem fazer referência a esses planos táticos quando pensam em suas próprias atividades e lidam com consultas de clientes.
  • Um roadmap de longo prazo é muito mais útil para a equipe executiva, captação de recursos, reuniões do conselho e exercícios de planejamento estratégico de grande porte.

O quepertence ao seu roadmap de curtoprazo

Embora os prazos variem de setor para setor, um roadmap de curto prazo geralmente cobre o que a equipe de produto está planejando para os próximos três a seis meses. Esses itens podem ter uma natureza bastante específica – já que a equipe deve ter uma boa noção do que está construindo nos próximos meses – e com diferentes validações da engenharia,eles podem ser inseridos em janelas de lançamento aproximadas com algum nível de certeza .

A vantagem de um horizonte mais curto é a precisão que a acompanha; é muito mais fácil prever o futuro proximo e assumir compromissos, do que projetar as coisas com alguns anos de antecedência.

Um roadmap de curto prazo deve incluir datas, mesmo que essas possam mudar um pouco, pois fornecem uma âncora para cada release ou milestone importante e fornecem uma sensação de escala para o documento.

Se você vai mostrar ou ocultar as datas, vai depender do público que vai receber esse documento; Embora possa fazer sentido exibi-los internamente, revelar datas para clientes e possíveis clientes, pode ser interpretado como um compromisso ao invês de uma meta, o que pode levar a alguns clientes insatisfeitos se você não enviar exatamente quando o roadmap o indicou.

Se features individuais devem ser incluídos em um roadmap de curto prazo, ao invês de limitar a temas e milestones, é uma decisão potencialmente complicada; quanto mais específico for um roadmap, mais valor ele oferecerá, mas é muito mais provável que ele seja impreciso.

Se você tem muita confiança nos entregaveis de curto prazo, chamar as features de mais alto nível de um milestone de um tema específico pode ser a decisão certa, se não tiver essa certeza, as mantenha como um epico.

Isso vai permitir a flexibilidade de mudar features individuais relacionados a um tema SE houver novas informações que justifiquem essa mudança nas prioridades ou se os detalhes da implementação necessitarem uma alteração no pedido.

Embora os roadmaps de curto prazo não devam ser uma lista de features, eles podem cobrir as metas abordadas por essas novas features. Isso fornece contexto para o leitor sobre o que esses temas pretendem realizar.

Igualmente importante para o que está em seu roadmap de curto prazo é o que NÃO está nele.

Igualmente importante para o que está em seu roadmap de curto prazo é o que NÃO está nele. Todos temos backlogs interminaveis e o que não faltam são solicitações de novas features e “informações interessantes” à espreita em nossa caixa de entrada – a exclusão de determinados itens comunica a todos que essas coisas não serão feitas dentro do horizonte deste roadmap. Isso é critico que todos entendam.

Dica: Saiba como um gerente de produto pode dizer não.

O roadmap de curto prazo deve ser atualizado quantas vezes for necessário para garantir que ele reflita com precisão o pensamento e as expectativas atuais. Embora ninguém espere que haja zero alterações, deve haver um pouco de confiança de que a versão mais recente se tornará realidade.

O que pertence ao seu roadmap de longo prazo

Em um mundo ágil, repleto de decisões dinâmicas e com base em dados, criar um plano por dois ou cinco anos pode parecer uma tarefa fácil. Mas, os itens de um roadmap de longo prazo são muito mais significativos e importantes do que o que você esta plamejando para os proximos meses.

O roadmap de longo prazo adota a visão do produto e estabelece como chegar lá. Transforma o teórico em algo plausível

Ao contrário de um roadmap de curto prazo, os de longo prazo não exigem a mesma frequência de revisões e atualizações; se sua visão estiver mudando mais de duas vezes por ano, você provavelmente terá problemas maiores que um documento desatualizado. Em vez disso, as atualizações do roadmap de longo prazo devem ser o resultado da visão e do trabalho estratégico que resulta em novas descobertas, conclusões ou decisões alcançadas pela equipe de produto e / ou executivos. Ele pode ser usado para garantir a adesão a essa visão e estratégia pelos stakeholders.

Como o roadmap é atualizado com pouca frequência, uma nova versão provavelmente merece uma apresentação e uma revisão oficial, descrevendo quais mudanças foram feitas e a justificativa para essas decisões. É uma ótima oportunidade para lembrar a todos na empresa o que o produto está tentando realizar e como seus esforços imediatos e atividades cotidianas se relacionam com essa visão.

Também deve ficar claro para todos, que o roadmap de longo prazo não é uma série de resultados ou compromissos que a equipe de produto esta fazendo; o horizonte está muito distante para assumir que alguma que algum item sequer vai acontcer.

O roadmap de longo prazo trata da visão geral, não de um plano de lançamento.

Conclusão – Mantendo seu roadmap equilibrado

Seja revisando um roadmap de curto ou longo prazo, este documento é uma das poucas ferramentas que as equipes de produtos têm à disposição para chamar a atenção total da empresa. Eles comunicam, educam, iluminam, ocasionalmente enfurecem e muitas vezes desencadeiam debates, pois todos parecem ter sua própria opinião sobre prioridades.

Manter dois roadmaps distintos (ou seja, um roadmap equilibrado), um mais tático e outro estrategico (que ofereça a visão de longo prazo), cria uma clara separação entre “o que vai acontecer” e “o que gostaríamos que acontecesse”. Essa bifurcação limita o feedback “fora de lugar” e mantém o foco nos diversos objetivos desses diferentes artefatos.

Os dois tipos de roadmaps ainda devem ser gerados de forma colaborativa, solicitando opiniões, dados e inteligência de mercado de partes relevantes da organização e da base de clientes. Nenhum dos dois deve ser criado em um canto por um PM “lobo solitário” que pensa que sabe o que é melhor para a empresa.

Todo elemento do roadmap requer uma clara razão de ser e provém de uma posição defensável.

No entanto, mantendo os roadmaps de curto e longo prazo separados, os participantes do processo de planejamento chegam à mesa com um contexto apropriado. As discussões sobre o que deve acontecer no segundo e no terceiro trimestre são muito diferentes daquilo que a empresa acredita que será importante daqui a quatro anos.

Portanto, não caia na armadilha de tentar encaixar tudo em uma única página. Dê a cada roadmap espaço para respirar e sirvir o seu propósito.

Um roadmap equilibrado são na verdade 2: o tático (curto prazo) e o estratégico (longo prazo)

Dica: Você pode usar ferramentas como ProductPlan ou Roadmunk para criar seu roadmap. Elas são ferramentas especializadas nesse tipo de tarefa e a como você já deve ter percebido, o trabalho de manter o roadmap atualizado nunca acaba, então uma ajudinha especializada vai te ajudar bastante