Construir um ótimo produto é tanto uma arte quanto uma ciência. Exige decisões difíceis e escolhas ( afinal, “Toda escolha é uma renuncia”), em circunstâncias que variam de ser sobrecarregado com dados a não ter dados. Grandes equipes de produtos têm um plano, geralmente na forma de um roadmap de produtos – uma lista cronologica do que eles planejam construir a seguir. Mas de onde surgem os itens dessa lista? Conheça 5 fontes de idéias para o roadmap de seu produto

Pergunte a qualquer bom gerente de produto e eles dirão que nunca perdem ideias. Sempre há mais para construir do que eles têm recursos. Mas o que distingue o grande (gerente de produto) do bom é saber quais dessas idéias desenvolver. Decidir o que vai para o roadmap e o que não vai.

Quando você solicita a qualquer (bom) gerente de produto que o explique suas idéias, verá rapidamente que eles não são todas iguais. Algumas coisas são novas, outras são iterativas, outras são rápidas e simples de construir, algumas são mais lentas e difíceis. Algumas idéias são atraentes e parecem contemporâneas, outras parecem um pouco chatas e menos interessantes. A chave para estabelecer um bom roadmap é ter um equilíbrio entre esses tipos de idéias.

As principais fontes de idéias

Eu trabalhei em equipes que tinham pouco equilíbrio. Na maioria dos casos, as pessoas colocam um excesso de recursos em novos produto/features e pouco foco em iterações e melhorias a produtos existentes. Para ajudar-los a manter um equilibrio entre, eu reuni em 5 categorias de fontes de idéias para o roadmap:

5 Fontes de idéias
5 Fontes de idéias

1. Novas idéias

Isso é baseado em minha opinião e não em pesquisa. Isso inclui tendências que encontro no mercado e novas idéias. Isso não é orientado por dados, vem de olhar a nosso redor e ver o que mais nos excita.

Por exemplo, quando eu trabalhava em uma empresa SaaS que atuava no mercado financeiro, eu era responsavel pela feature de carteiras de ações. Eu sabia que eu (como usaurio) gostaria muito de ter a possibilidade de configurar todas os parametros da minha carteira de ações e, feito isso, o sistema iria me indicar a melhor. Quem me disse isso? Ninguem. Era uma feature que eu desejava para o produto. (Foi um sucesso o lançamento.)

2. Iterar produtos lançados recentemente

Um erro comum da maioria das empresas de software é que elas lançam algo e depois passam para a próxima “idéia brilhante”. Mas uma das verdades da desenvolvimento de software é que você nunca acertou totalmente na primeira vez. Isso é universalmente verdadeiro, não importa o quanto você tente, não importa quanta pesquisa você faça.

Quando lançamos algo, fazemos funcionar com dados reais, em um ambiente real, aprendemos o que funciona bem e o que não funciona bem, muito, muito, muito mais rápido. Por isso, comprometasse a garantir que o lançamento seja apenas o começo e depois você vai iterar e melhoramos as coisas. Isso requer planejamento deliberado e perseverança.

Essa analise vai ser muito mais fácil, sabendo quais são seus critérios de sucesso antes do lançamento. Portanto, defina os critérios de sucesso (geralmente métricas), faça a medição delas após o lançamento e, quando necessário, acompanhe os clientes para obter feedback qualitativos.

3. Os problemas mais comuns do cliente

Toda semana, faça sua equipe de gerenciamento de produtos ler as (centenas) conversas com clientes. Faça seus gerentes de produto lerem as dezenas e às vezes centenas delas. A maneira mais facil de fazer isso, é pedir que quando seus clientes conversarem com sua equipe de Sucesso do cliente, eles registrem diligentemente todas as conversas com “o tipo de conversa”. Por exemplo. é um problema de usabilidade, uma solicitação de feature, um bug etc.

Depois disso, uma vez por semana (ou quando julgarem uma bom ), vocês como PMs, devem ler essas anotações e, em muitos casos, conversarem diretamente com os clientes para saber mais. Além disso, a cada poucos meses, faça sua equipe de pesquisa retira todas as conversas, analisa-as sistematicamente e codifica-as. Isso gera uma “lista de ocorrências” dos problemas mais comuns dos clientes.

Usando as opiniões semanais dos PMs e as análises sistemáticas dos pesquisadores, vocês poderam facilmente decidir quais deles serão abordados primeiro.

4. Melhorando a qualidade

Todo o software possui bugs. Ter como objetivo um software com zero bugs é irreal, impraticável e certamente excessivamente otimista para algo que fornece retornos decrescentes rápidos. Portanto, para começar, todas as questões precisam ser classificadas em uma escala para que você saiba quais são as mais importantes. Na Intercom, eles usam duas medidas principais para classificação:

  1. Quão grave é o problema?
  2. Quantos de nossos clientes isso afeta?

A maioria dos clientes o perdoará por um ou dois erros graves – mas não mais. Há mais flexibilidade nos bugs obscuros, que afetam apenas pessoas com navegadores específicos ou são experimentados apenas através de um conjunto incomum de ações seqüenciais.

Importante: você precisa proteger ter como compromisso um software que mantém uma alta barra de velocidade, latência e eficiência. Como PMs não é um trabalho fascinante (todo mundo gosta de features brilhantes), mas muito do que enviamos é simplesmente resolver bugs. Nós como PM’s, precisamos ter como objetivo oferecer um serviço / software de qualidade mundial, sabendo que a perfeição absoluta não é alcançável por ninguém.

5. Features que ajudam a escalar

Por fim, se você é uma empresa de rápido crescimento, provavelmente está vendo novos problemas com seu produto à medida que sua empresa cresce. Você está recebendo clientes maiores do que já teve antes. Você está recebendo clientes de setores que nunca viu antes.

Quando começarem a criar sua equipe de vendas aprenda a ama-los. O processo consultivo de vendas que vem sendo aplicado na grande maioria das empresas SaaS, tem como objetivo principal entender como podem ajudar os clientes a terem sucesso. São vendas modernas, mesmo quando não significa venda. As vendas são uma fonte crítica de pesquisa sobre esses novos tipos de clientes em potencial.

Dica: Embora muito provavelmente (espero que sim! Essa é uma péssima prática) você nunca vai desenvolver uma feature para fechar um negocio, as conversas que sua equipe de vendas terão são uma contribuição muito importante para o seu roadmap final

O equilíbrio entre as fontes de idéias

Agora que você tem as minhas fontes de idéias para o roadmap de um produto, a arte está em equilibrar os itens de cada uma delas. Como podemos criar um novo produto, enquanto iteramos nosso produto existente, fornecendo features solicitados pelos clientes existentes, com novas features necessários para clientes em potencial, mantendo tudo de alta qualidade, livre de erros, rápido e com desempenho?

Bem vindo ao mundo dos trade-off. Se você acabou de desenvolver alguns itens da sua lista de “Novas idéias”, agora você tem um aplicativo meio inútil, meio acabado, com erros e lento. Da mesma forma, se você acabou de abordar os “Problemas mais comuns do cliente”, você esta em um “beco sem saida” e nunca será uma força disruptiva para o bem ou um líder de mercado.

Importante: um roadmap equilibrado é combinar prioridades de curto prazo, com objetivos de longo prazo

A ultima categoria: todo o resto

Geralmente um bom roadmap é planejado aproximadamente 3-6 meses à frente. Assim, à medida que você adiciona itens ao roadmap e reavalia os itens existentes, matenha um backlog ou um armazem de todas as idéis. Essas são todas as outras idéias que NÃO estarão no seu roadmap (nem no curto, nem no médio prazo).

A maioria das pessoas gosta de chamar isso de nosso backlog, mas eu prefiro chamá-lo de “a lista de coisas que não planejamos desenvolver tão cedo”. Isso me mantém honesto e evita o “oh sim, mas está no nosso backlog, para que seja feito”. Não. À medida que você avança, as coisas mudam e, portanto, haverá itens em sua lista de pendências que, com razão, permanecem lá para sempre. (Dica: Agora que você sabe de onde surgem as idéias, leia esse artigo e descubra quando elas estão prontas para entrar no seu roadmap)

Espero que essa percepção de como eu gosto de categorizar minhas idéias tenha ajudado Se você quiser saber mais, eu escrevi um artigo para te ajudar a priorizar as features e idéias do seu time.